quinta-feira, 26 de julho de 2018

Facebook remove paginas falsas do MBL




Direito d

Na manhã desta quarta-feira, os responsáveis pelo Facebook anunciaram a remoção da rede social de 196 páginas e 87 perfis de cunho político, 
Em comunicado divulgado na manhã de hoje, o Facebook afirma que a remoção do conteúdo é "parte de nossos esforços contínuos para evitar abusos", e que a empresa agiu após uma "rigorosa investigação". As páginas e perfis removidos fariam "parte de uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook, e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo, com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação".
Após a ação, o MBL lançou uma campanha contra a medida em diversas redes sociais - incluindo o próprio Facebook e o WhatsApp, que também pertence à empresa americana.

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Como e por que o Estado deve regular as chamadas fake news, por Pedro Neto



 
Jornal GGN - Para entrar na questão das fake news sem dar azo a iniciativas que colocam em xeque a liberdade de expressão, o Estado precisa deixar de lado a ideia de que está combatendo uma nova forma de produzir mentiras em escala industrial e focar em "entender a lógica das plataformas digitais, seu modus operandi, para proteger os dados dos usuários."

sábado, 23 de junho de 2018

Renato Rovai denuncia que a censura foi colocada em prática com a desculpa de combate a fake news

Renato Rovai e Breno Altman sobre a censura com desculpa de combate a fake news

A indústria do anti fake news, por Luis

 
Jornal GGN - Notícia falsa existe desde que o mundo é mundo e desde os primórdios da imprensa isso ganhou uma dimensão muito grande. Nos últimos tempos houve uma explosão com a questão das fake news que está sendo colocada como a maior ameaça à democracia.
 
Surpreendentemente, há pouco tempo, surgiu nos Estados Unidos fake news para combater, pasme, as fake news, que foi a denúncia de que a Rússia teria influenciado decisivamente a eleição nos EUA.
 
Isso foi uma história falsa criada por uma instituição americana chamada Atlantic Council e que tem muita ligação com a Lava Jato. O ex-procurador geral Rodrigo Janot faz parte do conselho da instituição.
 
Pegaram um estudo falso feito por um blog bancado por eles de forma secreta que dizia que 200 sites e blogs haviam sido influenciados pela propaganda russa, o que não era verdade. A intenção deles, o Atlantic Council, era, sim, influenciar o mercado de opinião vendendo sempre a ideia da globalização, financeirização, e criou-se o caos. De um lado fomentou guerras e discursos de ódio, que é caso de polícia, e do outro uma proliferação de espaços, no mesmo ocupado por sites e blogs de esquerda, que influenciou ou enredou o próprio presidente do Facebook. O Facebook, para se livrar da pressão, contratou a própria Atlantic Council como consultor.
 
E qual foi a lógica deles e muito utilizada no Brasil? Que o veto às publicações teria que ser bancada pela sociedade civil através das agências de checagem que, de uma forma ou outra estão ligadas a grupos financeiros. E a primeira ação dessas agências de checagem foi cair em cima de sites e blogs de esquerda que fazem o contraponto à globalização alardeada.





https://jornalggn.com.br/noticia/a-industria-do-anti-fake-news-por-luis-nassif

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Agência Xeque: como a mídia usou o fakenews para beneficiar a máfia do lixo, por Luis Nassif





Fato 1 – o consórcio SOMA

SOMA (Soluções de Meio Ambiente) é um consórcio criado em 2011 para participar da licitação do lixo na cidade de São Paulo. Inicialmente, era integrado pelas empresas Delta Construções, Cavo Serviços e Saneamento e Corpus Saneamento e Obras. Em 2012 a Delta deixou o consórcio e a Cavo ampliou sua participação para 82%, deixando a Corpus com 18%.
Ao lado dos transportes urbanos, o lixo costuma ser a parte mais barra-pesada dos serviços públicos.

Agência Xeque: as premiações internacionais e a imprensa jeca, por Luis Nassif


Luis Nassif
Conforme colocamos no artigo de criação da Agência Xeque, uma das vulnerabilidades das atuais agências de checagem é se fixarem no factual, sem capacidade de contextualizar ou valorar os temas analisados.
Com duas verdades é possível contar uma mentira. Basta dar ênfase a um episódio irrelevante ou minimizar um episódio de peso.
Vamos analisar duas premiações internacionais.

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Agência Xeque: o fakenews sobre a greve dos caminhoneiros, por Luis Nassif

Há um motivo óbvio para a crise dos caminhoneiros: uma política de fixação quase diária dos preços de combustíveis, e de dolarização – expondo o consumidor brasileiro a qualquer movimento especulativo global.
Em um país racional, não haveria maiores discussões sobre o tema. Mas nesse país da Maracangalha, criou-se um impasse entre os chamados neoliberais (para diferenciá-los dos liberais racionais). A tal dolarização dos preços de combustíveis seguiu o receituário neoliberal de dolarizar a economia e impedir qualquer ação corretiva da parte do governo. Como admitir que o resultado foi desastroso?
Aí se convocam os templários, os guerreiros que saem de peito aberto, sem nenhum receio de expor sua reputação ao ridículo, para que levantem alguns slogans de contra-ataque.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Agência Xeque: como a mídia usou o fakenews para beneficiar a máfia do lixo, por Luis Nassif

Fato 1 – o consórcio SOMA

SOMA (Soluções de Meio Ambiente) é um consórcio criado em 2011 para participar da licitação do lixo na cidade de São Paulo. Inicialmente, era integrado pelas empresas Delta Construções, Cavo Serviços e Saneamento e Corpus Saneamento e Obras. Em 2012 a Delta deixou o consórcio e a Cavo ampliou sua participação para 82%, deixando a Corpus com 18%.

Ao lado dos transportes urbanos, o lixo costuma ser a parte mais barra-pesada dos serviços públicos.

Em março deste ano, com a Operação Descarte a Polícia Federal desvendou um gigantesco esquema de lavagem de dinheiro com envolvimento da SOMA. Agentes da Polícia Federal e da Receita fizeram busca e apreensão na sede da empresa e o material recolhido está sob análise. A operação foi deflagrada a partir da delação do doleiro Alberto Yousseff.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

As fake news ameaçam a lisura das eleições e a democracia


O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB-PR) explica como as fake news (notícias falsas) podem implodir a democracia brasileira. Ele põe em xeque a “boa vontade” e a eficiência do TSE, Abin e Forças Armadas, Polícia Federal nas eleições deste ano.

As fake news ameaçam a lisura das eleições e a democracia
Luiz Claudio Romanelli*
“Numa época de mentiras universais, dizer a verdade é um ato revolucionário”. (George Orwell)

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Bolsa-bandido: quem se beneficia com Auxílio-Reclusão, por Samuel Lourenço

Bolsa-bandido: quem se beneficia com Auxílio-Reclusão
por Samuel Lourenço

Recebi por contatos diversos, o mesmo vídeo que tem um depoente falando sobre o Auxílio-Reclusão. Na película amadora, o interrogante conduz o depoimento com maestria e o cabrito vai respondendo tudo numa boa. Embora sua situação jurídica não esteja muito clara, assim como toda a entrevista, me parece que o cara estava em semiaberto e depois passou pelo monitoramento, não deixando claro se estava monitorado no regime semiaberto ou em Prisão Albergue Domiciliar, no regime aberto. Mas enfim...